Jaboatão anuncia reajuste de 5% para servidores

Leia Offline

Prefeitura lembra crise nacional e diz que qualquer percentual acima disso pode comprometer os investimentos

Por: Felipe Leite

A Prefeitura do Jaboatãos dos Guararapes, Região Metropolitana do Recife, anunciou, nesta quinta-feira (31), o aumento salarial que dará aos servidores: o percentual subiu de 3% para 5%. Além disso, os funcionários que recebem salário minimo terão aumento de 11,67% e os professores contratados ganharão 11,31%, elevando o salário ao piso nacional dos professores. O projeto de lei foi encaminhado à Câmara de Vereadores. Os novos valores passam a valer em abril.

Segundo a secretária de Fazenda e Planejamento, Mirtes Cordeiro, a proposta inicial era de 3% de reajuste, mas, atendendo ao pedido dos representantes sindicais para que o percentual fosse maior, o município apresentou a nova proposta de 5%. “Enviamos o projeto à Câmara, conforme discutido com os sindicatos e representantes de categoria. No início era de 3%, porque em janeiro e fevereiro tivemos um incrmento de receita de apenas 2,8%, então não teríamos como dar um aumento maior que esse. Na terceira rodada de negociação, com a presença do prefeito Elias Gomes, resolvemos ampliar a margem de aumento para 5%, reduzindo a margem de investimentos em ações que estamos realizando no município para garantir esse pagamento”, explicou.

Ainda segundo Mirtes Cordeiro, Jaboatão está se esfroçando para garantir os salários em dia, o que ocorre desde o início da primeira gestão Elias Gomes, em 2009. “A proposta é de 5% e em julho será feita uma avaliação do aumento de receita. Se tiver sido maior que esse percentual, o ajuste seria repassado. Essa foi a proposta. Os sindicatos resolveram que não querem esse aumento. Isso é preocupante porque estamos vendo municípios que ainda não pagaram a folha de dezembro e nem o décimo terceiro. No Rio de Janeiro os salários estão atrasados, servidores em greve, e o Estado do Rio, que é rico, está com a proposta de parcelar salários. Nós não queremos de forma alguma chegar a essa condição”, reforçou Mirtes.

EQUILÍBRIO FINANCEIRO – A secretária destacou ainda que o cenário de dificuldades, com a crise nacional, é geral e que os governos não podem se comprometer com gastos fora do planejado, sob pena de comprometer investimentos importantes para o conjunto dos moradores.

“Queremos manter o equilíbrio financeiro. Estamos trabalhando para ampliar a arrecadação. Vamos implantar, na segunda-feira (4), uma sub-procuradoria na Fazenda para cobrar a dívida ativa, e foi criada este ano a vara de execução fiscal no fórum. Estamos organizando o município para um equilíbrio fiscal, mas não podemos nos aventurar em possibilitar aumentos que tornem o município difícil de ser governado, que coloquem em cheque ações fundamentais de atendimento à população, como Educação, Saúde, Limpeza Urbana, manutenção da iluminação, coleta de lixo e merenda escolar. Então, queremos que o funcionalismo não sofra nesssa crise. Por isso chegamos a essa proposta intermediária de 5%, que só é possível porque estamos fazendo sacrifícios em outras áreas e é o máximo que podemos oferecer”, finalizou Mirtes Cordeiro.