poder executivo

Com o projeto pioneiro, Jaboatão incentiva arrecadação do IPTU para realização de obra

A proposta é de que os moradores da Rua José Nunes da Cunha, com três quilômetros de extensão, negociem suas dívidas e, assim, a Prefeitura pavimente a via

Tiago Brito
Em Jaboatão dos Guararapes, Região Metropolitana, estão sendo investidos R$ 21 milhões, com recursos próprios, destinados a Operação Verão. Até março do próximo ano, serão desenvolvidos diversos serviços, como recapeamento, tapa buraco, regularização de ruas e limpeza de canais. A verba para a realização de todas essas ações vem por meio do que foi arrecadado pelo Imposto Predial e Territorial Urbano, mais conhecido como IPTU. Com o objetivo de ampliar obras estruturadoras na cidade, o Governo Municipal iniciou, nesta terça-feira (13/10), a primeira fase de um projeto pioneiro, que estimula os moradores a negociarem suas dívidas referente ao IPTU e, em contrapartida, a gestão executar as obras de pavimentação e drenagem. A primeira via que terá essa parceria é a Rua José Nunes da Cunha.

Com três quilômetros de extensão, a via possui 1.309 imóveis e corta os bairros de Piedade, Candeias e Barra de Jangada. A rua acumula uma dívida no IPTU de R$ 10 milhões, ao todo. Atualmente, o município tem uma inadimplência que chega a 67%, em relação a quantidade de residências e 44%, em comparação ao valor de arrecadação. Na terça-feira (13/10), representantes da Prefeitura se reuniram com os moradores, para tratar sobre o assunto.

De acordo com o secretário Executivo de Pavimentação e Drenagem, Roberto Rocha, a via, que faz ligação com 25  ruas, tem 2,4 mil metros de acesso não pavimentado e um trecho de 650 metros para ser recuperado, devido ao desgaste. O orçamento, segundo ele, está estimado em mais de R$ 3 milhões. Após a licitação, o período de execução é de seis meses.
Para a parceria ser firmada, conforme o secretário Executivo da Receita, Marcelo Mandu, será necessário que 50% da dívida (R$ 10 milhões), seja negociado e 30% do total da obra, que será de R$ 3 milhões, deve estar paga, seja em cota única ou em negociação. Para incentivar a presença dos moradores nesse processo, da negociação à execução do projeto, foi criada uma comissão, composta por sete pessoas. A primeira reunião está marcada para o dia 27 de outubro, na sede da Regional Praias, em Candeias, a partir das 19h.

PARTICIPAÇÃO POPULAR – Moradora de Candeias há 30 anos, a aposentada Tereza Carneiro, 61 anos, avalia que a iniciativa, inédita, trará mais obras. “Não tinha visto uma ação dessa feita pelo Poder Público. É necessário um diálogo com os moradores, mas a Justiça deve fazer o seu papel e cobrar o que se deve”, afirmou. Já o pecuarista Wallace Nunes, de 27 anos, destacou que o encontro “sirva de incentivo para que outros moradores participem e possam colaborar, para que, em breve, máquinas e homens mudem o cenário da rua”, salientou.