poder executivo

Instrumento de transformação: Projeto Escola Sustentável é lançado em Jaboatão Centro

Parceria entre as Secretarias executivas de Meio Ambiente e Gestão Urbana e Educação prevê diminuir ou eliminar pontos de lixo no município

Felipe Pinheiro

“Escola sustentável, que traz uma cultura. Árvore Baobá, que traz uma mistura. História, mito e realidade, que trazem a sustentabilidade”. Os versos são do rap Árvore Baobá, de Allan César, de 11 anos, aluno do 6º ano da Escola Municipal São Sebastião. O menino é um dos multiplicadores do Projeto “Escolas Sustentáveis – Juntos Cuidado da Nossa Cidade”, que foi lançado nesta quarta-feira (28), pelo prefeito Elias Gomes. A iniciativa tem caráter contínuo e visa preparar agentes ambientais no âmbito da escola que trabalharão na diminuição e tentativa de eliminação dos pontos críticos de lixo no município.

A Prefeitura do Jaboatão dos Guararapes tomou a iniciativa de criar o que o prefeito Elias Gomes chamou de “eco-cidadãos”. A Escola São Sebastião é tida como modelo na defesa do Meio Ambiente. O lema da instituição é educar pela sustentabilidade e para a paz. Além dela, outras sete escolas também serão modelo dentro desta iniciativa. Priorizando as Regionais Jaboatão Centro, Cavaleiro e Curado, a Escola Dr. Luiz Gonzaga Maranhão, em Padre Roma, será a próxima instituição a receber as atividades lúdicas. Inicialmente, 4.258 estudantes da Rede Municipal serão beneficiados. Juntas, as secretarias executivas de Meio Ambiente e Gestão Urbana e de Educação executam e têm a missão de, até o fim de 2016, implantar o projeto em outras 60 escolas do município. “Educação é instrumento de autonomia, liberdade, mudança e transformação”, disse o prefeito.

As áreas priorizadas são as mais afetadas pelo descarte irregular dos resíduos sólidos domiciliares. O Rio Jaboatão é bastante poluído e, parte disso, foi motivado pelo hábito errado de jogar lixo em canais ou diretamente no rio. Os professores e gestores das escolas onde o projeto for implantado receberão capacitações com orientações técnicas para implantação de forma autônoma do projeto. Além disso, cada escola receberá kits de educação ambiental que incentivam a criação de espaços pedagógicos, tais como salas verdes (com jogos educativos), hortas orgânicas (com ervas medicinais e para alimentação), recreio ambiental, oficinas de eco arte (criação de objetos com materiais descartáveis, jornal verde, encontros sustentáveis, excursões pedagógicas e rádio verde. Na Escola São Sebastião, a programação da Rádio Colônia 92 é feita pelos alunos.

Segundo Amanda Pereira, assessora de educação ambiental, 100 professores já receberam a capacitação, que ensina aos mestres como trazer o conceito de sustentabilidade de modo transversal, contextualizando com o assunto de cada disciplina. A Prefeitura criou também cartilhas com todas as orientações a cerca do projeto Escolas Sustentáveis. Mil exemplares serão distribuídos para os professores do município. “Nenhuma aula normal é interrompida, a questão da sustentabilidade, da preservação, é adicionada a cada assunto. Seja em História ou Matemática, nossos professores são orientados a trazerem algo que sensibilize e conscientize cada aluno sobre a defesa do Meio Ambiente”, disse Amanda.